30.6.09

Na Bíblia, quem matou mais: Deus ou o Diabo?

De Rafael Tonon

Na Bíblia dá Deus de goleada: De acordo com os relatos do livro, o Todo-Poderoso é responsável por exatas 2 270 365 mortes, enquanto o coisa-ruim ostenta em seu currículo de maldade apenas 10 eliminados. Esse surpreendente levantamento foi feito por um Blogueiro americano Steve Wells, editor do Skeptic’s Annoted Bible (A Bíblia anotada do cético) skepticannotedbible.com , que reproduz a Bíblia em versão online e comentada. Depois de vasculhar todas as mortes narradas no livro. Steve publicou os dados na Internet. Segundo ele, mais de 99% das mortes em nome do senhor estão no Velho Testamento – A maior matança foi quando Deus destruiu todas as cidades nos arredores de Gerara, na Palestina, tirando a vida de 1 Milhão de pessoas. No Novo Testamento, só 3 pessoas foram mandadas desta para melhor pelas mãos do criador:o rei Herodes, Ananias e sua esposa, Safira. Já o Diabo é responsável pela morte dos 10 filhos de Jô. Steve diz ainda que várias vidas tiradas tanto por Deus quanto pelo “coisa-ruim” podem ainda ser maior: “Só no dilúvio, quando ele pediu para Noé para construir a Arca, cerca de 30 milhões de pessoas podem ter morrido. Mas como é difícil estimar um total, só somei as mortes cujos números são especificamente citados na Bíblia”, diz ele. Para quem acha que Steve é um ateu incendiário, uma surpresa: ele é Mórmon e diz que não quis causar polêmica com o levantamento. “Sou um cara religioso e temo a Deus. Principalmente agora.”

FONTE: Revista Super Interessante


Nem sei porque postar isso. De fato, o Mestre dos Magos é mesmo o Vingador.

Já acessou o blog Filosofia do Caos hoje?


Post Scriptum:

kbessa diz (13:38):
só pra constar nos autos
o vingador nao eh o mestre dos magos
ele eh o filho dele
enfeitiçado

Piada Filosófica

Estavam um engenheiro, um físico de laboratório, um físico teórico e um filósofo caminhando pelos campos da Escócia, ao que eles avistam uma ovelha preta. O engenheiro fala:
- Olha só, todas as ovelhas da Escócia são pretas!!
O físico de laboratório olha pra ele, e diz:
- Não, nós não podemos afirmar que todas as ovelhas da Escócia são pretas, mas que algumas ovelhas da Escócia são pretas!
O físico teórico diz:
- Também não podemos afirmar isso. Podemos dizer apenas que essa ovelha da Escócia é preta.
O filósofo pára, pensa, olha para eles e diz:
- ... É, pelo menos de um dos lados.



Post Scriptum: e então, bocanegra, que por lá passava pára e diz:

- não. definitivamente não temos certeza nem da ovelha nem de nós mesmos.

26.6.09

Afasta de Mim esse Cálice - 10 Músicas que foram Censuradas

Gil e Caetano no exílio em London London




Fragmento de documento que vetou a música Geleia Geral.



1.Oculoescuro (Como vovó já dizia), de Raul Seixas e Paulo Coelho

A letra original do hoje consagrado escritor Paulo Coelho foi rejeitada uma e outra vez por ser considerada “veiculo de mensagem subversiva”. Curioso foi que o veto não alcançou ao refrão, que é uma clara referência ao uso de colírio ou óculos escuros para esconder a irritação de olhos provocada pela maconha. Raul teve umas 35 músicas censuradas e chegou a inventar palavras só para infernizar a vida dos fiscalizadores.

2. Herói do medo, de Carlos Lyra

Alguns trechos da letra resultaram insuportáveis para a censura, como “odeio a mãe por ter parido”. Por causa de versos como este, o relatório diz “o autor apresenta ego psicótico”, entre outras barbaridades. A música foi liberada em 1975, quando Carlos Lyra morava no estrangeiro.

3. Buscando amor, de Cláudio Nucci e Mauro Assumpção

O problema foi com os versos “baseado no que eu digo eu já ando hoje em dia”. Os autores tentaram explicar que, no caso, “baseado” é uma forma verbal e não um substantivo, mas não houve chance, assim mesmo a música foi barrada.

4. Pátria amada, idolatrada, salve, salve, de Geraldo Vandré

Além dos casos mais conhecidos como Caminhando (Para não dizer que não falei das flores) e Canção da despedida, Geraldo Vandré teve muitas outras músicas censuradas. A escolhida aqui, só pelo fato de fazer menção aos símbolos pátrios, o que era expressamente proibido pela ditadura. Também não era permitida qualquer menção duvidosa à cor vermelha, associada ao comunismo. Geraldo Vandré, tachado de “compositor subversivo” teve a carreira e a saúde prejudicadas pelas proibições.

5. Deus e o diabo, de Caetano Veloso

Como é sabido, Caetano não só teve músicas censuradas. Ele foi preso, proibido de trabalhar e exilado. Na volta, o regime estava forte ainda e os problemas continuaram. Com esta música foram quatro anos de idas e voltas a Brasilia. A marchinha de carnaval com sua associação de deus ao diabo irritou a religiosidade arcaica dos milicos. Nos últimos versos da versão original: “cidades maravilhosas dos bofes do meu Brasil”, o vocábulo bofes precisou ser substituído pelo vocábulo “pulmões”.

6. O mestre-sala dos mares, de Aldir Blanc e João Bosco

A música originalmente foi chamada “O almirante negro”, mas um funcionário disse ao autor que tal título representava uma “apologia do negro”, o que mostra mais uma vez que, além de retrógrado, o regime que imperou desde 1964, também foi racista.
Cansado das modificações e para flagrar a idiotez dos seus algozes, o grande poeta Aldir Blanc incluiu uns versos surreais que permaneceram na canção, como “glória à farofa, à chachaça, às baleias”.

7. Pare de tomar a pílula, de Odair José

Só um exemplo emblemático entre muitas músicas que o então popularíssimo Odair José teve questionadas. O problema com ele não era o engajamento político mas as letras que atentavam “contra a moral e os bons costumes”, essa frase imbecil que os reacionários adoravam. Um funcionário com pretensões românticas disse um dia ao artista: “O amor não é do jeito que o senhor canta”.

8. Geleia geral, de Torquato Neto e Gilberto Gil

Perseguido e exilado junto com Caetano Veloso, Gilberto Gil sofreu censura prévia de muitas músicas. Esta, com belíssima letra do poeta Torquato Neto, foi rejeitada pelo “claro sentido político e contestatório”. Pois é, a geleia geral brasileira dos tempos da ditadura.

9. Nada será como antes, de Ronaldo Bastos e Milton Nascimento

O título já dizia tudo, mas o problema foi com o verso “Que notícias me dão os amigos?” em alusão aos exilados por motivos políticos.

10. Bolsa de amores, de Chico Buarque

Chico foi, junto com Taiguara, um dos campeões das letras proibidas. Dele recusaram Cálice, citada no título deste texto, Acorda amor, Apesar de você, Tanto mar, todas da peça Calabar e muitíssimas outras. Essa Bolsa de amores está entre as menos conhecidas e nem é das mais brilhantes ou comprometidas. Ela apenas faz um paralelo entre o linguajar da bolsa de valores e uma conquista amorosa. Porém, foi devolvida. No veto, os censores dizem que “o autor está muito preocupado em denegrir as mulheres”. Como Chico foi genial até para driblar à censura, criou um compositor e até uma história sobre ele, o Julinho da Adelaide, que passou a assinar as músicas que poderiam ser objeto de proibição. Mas o truque foi descoberto quando os funcionários da DCDP perceberam que o dinheiro dos direitos autorais do Julinho ia pra conta de um tal Chico Buarque de Hollanda.



A censura oficial existiu no Brasil desde 1934, quando foi decretada por Getúlio Vargas, mas seu periodo mais atuante começou com a ditadura de 1964 e a criação da Divisão de Censura de Diversões Públicas (DCDP), que teve mais força ainda depois da entrada em vigor do AI-5. O órgão que chegou a examinar sessenta mil músicas tinha sede em Brasília. As grandes gravadoras tinham advogados contratados só para lidar com os censores, policiais federais deslocados de outras funções sem o menor preparo para a compreensão de obras artísticas. A censura foi abolida no Brasil em 1988.



Fontes e bibliografia: Arquivos próprios; documentos do Arquivo Nacional; Site censuramusical.com; A canção no tempo Vol 2, de Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello; Verdade Tropical, de Caetano Veloso; Nada será como antes, de Ana Maria Bahiana; História Social da Música Popular Brasileira, de José Ramos Tinhorão.

Foto de Caetano e Gil na Inglaterra sem crédito do autor
Foto de jornaleiro exibindo o Jornal da Tarde, em 1968, com o endurecimento da censura e o anúncio do AI-5





POST SCRIPTUM: Post retirado totalmente do blog Nem Vem Que Não Tem.

World Naked Bike Ride - São Paulo

O World Naked Bike Ride é um evento mundial realizado nas grandes cidades em que ativistas ficam nus para protestar em prol do uso de bicicletas nos grandes centros, assim como a criação de ciclovias, etc. Tudo a favor do meio ambiente.
Renata Falzoni e Tomaz Cavalieri filmaram para a ESPN-Brasil, inclusive iniciando o despimento entre os manifestantes.
Muito legal o vídeo, bem emocionante, com depoimentos e várias imagens do evento que parou a Paulista para protestar a favor do meio ambiente e das bicicletas.

Clique aqui! e veja a parte 1 da matéria, e aqui! para a parte 2.

24.6.09

Estranhos num mundo estranho.


[Um pequeno texto em homenagem aos que se identificarem.]

Francamente, querida, eles não dão a mínima.
Eles são mal vistos, subterrâneos, vagabundos iluminados, dançam fora da linha e num ritmo diferente, tomam como heróis personagens dúbios como Rimbaud, Billy the Kid, Baudelaire e Oscar Wilde, e eles mesmos acabam se tornam personagens.
Em seu mundo os índios, negros, rebeldes, e as pessoas da rua são os bons meninos, e os certinhos, policiais, e os quadradões são os malvados. Suas visões e pensamentos de como viver a vida não tem nada a ver com as restritas normas cristãs e padrões ocidentais de valores, significando, entre outras coisas, que sexo, drogas, e claro, jazz blues e rock'n'roll, podem ser sacramentados como coisas bacanas para pessoas de mente bacana.
Buscam respostas em tudo que é lugar, livros, musicas, filmes, conversas. Whitman trovou baladas a serem dançadas, Miller se autoproclamou Sr. Sexus, Ginsberg uivou, e Kerouac abriu os olhos deles e os jogaram na estrada.
Seus textos andaram em qualquer lugar distante localizado além das bordas do mundo conhecido. Eles são poesia, são prosa, e entre eles buscam um existencialismo equivalente ao satori do mundo real. Buscam viver sempre no cume da experiência mística, seja através do êxtase sexual, meditação zen, drogas psicoativas, a contemplação de certas paisagens mágicas, a boa música, ou idealmente um pouco de cada uma destas coisas.
Eles são diferentes, e sabem disso, se orgulham disso.

[Um pequeno presente aos que aceitaram a homenagem.]

Excelente álbum do Iron Butterfly - In-A-Gadda-Da-Vida, podem baixar que vocês vão gostar!

23.6.09

Cadáver Pega Fogo Durante o Velório - Download

Cadáver Pega Fogo Durante o Velório! Calma, é apenas o nome do disco de samba de Fernando Pellon, Paulinho Lemos e cia. De um humor ácido, negro e visceral. Com letras bem arrojadas e sambas que me lembram Noel. Não sei a data ao certo, mas no encarte há algo com Março de 1983, deve ser a data oficial. Na verdade eu poderia procurar, mas quero ficar no suspense, procurem vocês. Para mim, parece mais um disco de 1920, morrendo de tuberculose, em meio aos bordéis. Mas enfim, vale o clique não só pelo nome curioso - que inicialmente me motivou a ouvir - mas pelas músicas deveras.


Lista de Músicas:

01. Porta Afora
02. Altivez
03. Com Todas as Letras
04. Carne no Jantar
05. Cicatrizes
06. Tal Como Nazareth
07. Vá Esperança
08. Prazer Qualquer
09. Flores de Plástico ao Amanhecer

Download aqui!


Dobson 18" Ultra-Portátil

Acredito que muitos nem entenderam o título da postagem. Bem, vou explicar. No ramo dos telescópios (sim, a foto é o homem e seu telescópio) há vários tipos, um dos mais clássicos o inventado por Sir. Isaac Newton, chamado também de refletor newtoniano.
Para segurar os telescópios é necessário também uma montagem, que vulgarmente é confundido com tripé. Entre os mais populares também há a montagem construída por Dobson, justamente a dobsoniana, mais simples e barata que as equatoriais cheias de engrenagens.

Tá, nem assim tá muito simples de entender, não é? - vou ter que postar sobre óptica e astronomia - mas procurem no google que tudo se explica.

Esse homem nesse vídeo conseguiu simplificar a montagem mais simples, e construiu um telescópio realmente simples, portátil, leve e com certeza muito potente.

O 18" corresponde ao diâmetro da abertura do telescópio (você viu que ele é feito apenas com varas metálicas, e não tubos nem nada) então nesse caso a abertura é o próprio diâmetro do espelho. 18 polegadas correspondem mais ou menos a 450mm. Acredite que as imagens, se o espelho for de qualidade e as condições atmosféricas adequadas, pode flagrar além dos planetas solares, nebulosas, aglomerados, estrelas binárias, luas e satélites, galáxias, asteróides e até a ISS (Estação Espacial Internacional). Não é fácil achar 'na mão', sem um controle mecânico de Go-to ou algo parecido, mas não é impossível.

Volto em breve com uma postagem sobre astronomia, gostei de relembrar o tema. (Já pensei em fazer astronomia, mas desisti e estou fazendo cinema).

Para ver os vídeos no Youtube, clique aqui! e aqui! Parte 1 e 2, respectivamente.

22.6.09

Coincidências entre Lincoln e Kennedy

Abraham Lincoln foi eleito para o Congresso em 1846.
John F. Kennedy foi eleito para o Congresso em 1946.

Abraham Lincoln foi eleito Presidente em 1860.
John F. Kennedy foi eleito Presidente em 1960.

Ambos se preocupavam muito com, sobretudo, os direitos civis.
Ambas as suas esposas perderam crianças enquanto habitavam a casa branca.

Ambos os Presidentes foram assassinados numa sexta-feira.
Ambos os Presidentes levaram um tiro na cabeça.

E agora é que se torna mais estranho:

O secretário de Lincoln chamava-se Kennedy,
O secretário de Kennedy chamava-se Lincoln.

Ambos foram assassinados por alguém dos estados do sul.

Ambos os Presidentes foram sucedidos por um homem do sul chamado Johnson.

Andrew Johnson, que sucedeu a Lincoln, nasceu em 1808.
Lyndon Johnson, que sucedeu a Kennedy, nasceu em 1908.

John Wilkes Booth, que assassinou Lincoln, nasceu em 1839...
Lee Harvey Oswald, que assassinou Kennedy, nasceu em 1939...

Ambos os assassinos eram conhecidos pelos seus 3 nomes.

Ambos os seus nomes eram formados por 15 letras.

E agora, ....

Lincoln foi assassinado num teatro chamado "Ford"
Kennedy foi assassinado num carro da marca Lincoln, feito pela "Ford"

Lincoln foi assassinado num teatro e o seu assassino correu para um armazém para se esconder.
Kennedy foi assassinado a partir dum armazém e o seu assassino fugiu para um teatro e escondeu-se lá.

Booth e Oswald foram assassinados antes do seu processo.

E aqui vai a cereja no topo do bolo....

1 semana antes de Lincoln ser assassinado, ele esteve em Monroe, no estado de Maryland
1 semana antes de Kennedy ser assassinado, ele esteve com Marilyn Monroe.



Post Scriptum: será que é tudo real?

Blog República de Fiume

Vídeos, torrentes, ebooks, mas principalmente textos ótimos e download de discos agradáveis. O blog é muito bem feito, com ótimo conteúdo e até me gerou inveja (que logo sumiu porque não sinto tais sentimentos). Precisava compartilhar desse espaço artístico - com uma temática que me pareceu bastante parecida com a do Barco.

Como amostra do conteúdo do blog, vou mostrar uma das postagens, com uma frase memorável de William S. Burroughs.




Imagens, milhões de imagens, eis o que eu devoro... Já procurou abandonar esse vício com morfina?

William Burroughs




Clique aqui! e conheça a República.


Curiosidades e Costumes de outros Países

No México, quem bota as mãos nos quadris está querendo briga. Já na Coréia, assoar o nariz na rua é falta grave. Confira a seguir o que é gafe em alguns lugares do mundo...

À mesa, com toda a fineza
Ainda que o molho seja irresistível, não limpe o prato nos países árabes. É terrivelmente grave e grosseiro comer tudo o que for servido. Tampouco se atreva a limpar o molho do prato com um pãozinho, se estiver na Inglaterra. Ingleses detestam esses modos! Já no Japão, raspar o prato e lamber os beiços cai bem. O anfitrião (ou o vizinho da mesa) acha indelicado deixar um restinho. Na China, jantar é teste de resistência. Não há ofensa maior do que recusar comida – não importa o que seja. Engula!

Certas coisas proibidas em público
Se você estiver na Coréia do Sul, não assoe o nariz na rua. Lá isso é considerado ofensa gravíssima! Não importa o quanto seja engraçada a piada que seu amigo contou. Jamais gargalhe nas ruas do Japão, principalmente se você for mulher (lembre-se que as japonesas sempre cobrem a boca para rir).

Veja lá o que você fala!
A menos que você seja um médico, jamais pergunte a um americano quanto ele pesa ou mede. É mais fácil ele contar algum segredo sujo do que revelar as medidas do corpo. Ao telefone, em todos os países da Europa, você diz seu nome antes de mais nada. Mesmo que a ligação seja só para pedir informações. Não elogie uma japonesa, nem que ela seja a musa dos seus sonhos. Ela vai achar que é falsidade.

Olhe a mão-boba
Na Tailândia, é muito indelicado ficar conversando com alguém com as mãos nos bolsos. Deixe-as bem à vista, sempre. Também não coloque as mãos sobre as costas da cadeira na qual outra pessoa está sentada: para os tailandeses, isso é grave. Mão no bolso, no México, é coisa de grosso. E se um homem colocar as mãos nos quadris e olhar para você, está chamando para a briga.

A arte de presentear
No Oriente, é fundamental dar ou receber presentes com as duas mãos. É sinal de apreço. Se você não for da Máfia, nunca dê um relógio para um chinês: significa que deseja a morte dele. Os chineses são mesmo cheios de dedos: antes de aceitar um presente eles recusam três vezes. Nem mais, nem menos.

Cada um no seu lugar
Os americanos odeiam quem vai abrindo caminho no meio da multidão. Peça desculpas a cada empurrão inevitável. E olho no chão: americanos ficam muito, mas muito zangados, ao levar um pisão no pé. Quando você está em pé, conversando com alguém, é normal um coreano passar no meio. Dê um passo para trás, para dar passagem. Na Coréia, é falta de educação alguém dar a volta por trás de você.




Post Scriptum: Retirado do blog Peroxas.

Tem Hora, Senhora?

Clique na imagem para ampliá-la e ver melhor. Adorei a tirinha, e adoro o Nadaver.com

Fica a dica aí, e agora mais um presente, esse vídeo muito louco do 'I Like Marijuana', clicando aqui!

Vivo Verde.com.br

O blog Vivo Verde, que já tinha sido motivo de postagem aqui no Barco, está de cara nova. Agora com domínio .com.br, com um design muito bonito e bem acessível. Gostei demais. Na verdade a Daiane já tinha me falado disso há algum tempo, mas só agora fui conferir realmente. E vale demais, afinal um meio ambiente sustentável e preservado deve ser desejo de todos. E o Vivo Verde vem para ser mais um instrumento nessa luta.

Clique aqui! e confira.

Sobre a Traição - Bertold Brecht


Sobre a traição - Bertold Brecht


Deve-se manter uma promessa?
Deve-se fazer uma promessa?
Quando algo tem que ser prometido, não existe ordem. Então deve-se produzir essa ordem. O homem não pode prometer nada. O que o braço promete à cabeça? Que continuará um braço e não se tornará um pé. Pois a cada sete anos ele é outro braço. Se um trai o outro, trai o mesmo ao qual prometeu? Na medida em que alguém a quem algo foi prometido se vê em circunstâncias sempre novas, e portanto muda conforme as circunstâncias e se torna outro, como poderá ser mantida a ele a promessa feita a um outro? Aquele que pensa trai. Aquele que pensa nada promete, exceto que continuará sendo um homem que pensa.



Post Scriptum: do livro Histórias do sr. Keuner, de B. Brecht.

Maranhão 66

Com a postagem anterior, só me veio a mente isso. Maranhão 66, curta-metragem que Glauber Rocha fez sobre a posse do então governador do Maranhão, José Sarney.

Preste atenção. Clique aqui! e veja no Youtube.

Pior a emenda do que o soneto...

No Cazaquistão, Lula defende Sarney blábláblá

o que é isso, companheiro?

Crise econômica fará mundo ter mais de 1 bilhão de desnutridos em 2009, diz ONU


acordai ó filhos do Sol. (crise... ) e não falamos de projeções, é 2009 mesmo. 1 bilhão?! .....

ao menos a Copa é na África (humor negro, afro e imoral).

16.6.09

Monterey International Pop Festival

O Festival de Música Pop Internacional de Monterey aconteceu de 16 a 18 de junho de 1967 na Monterey County Fairgrounds em Monterey, Califórnia. Foi organizado pelos produtores Loud Adler e Alan Pariser, o músico John Phillips (do The Mamas & the Papas) e o publicitário Derek Taylor; entre os membros da comissão do festival estavam integrantes dos Beatles e dos Beach Boys.

Bicho, agora que tal ouvir uma seleção das melhores gravações disponíveis deste puta festival? Na minha opinião ele foi mais foda que o Woodstock até, então vale muito o download. Aproveitem!


Download:

CD1: Parte 1, Parte 2
CD2: Parte 1, Parte 2
CD3: Parte 1, Parte 2
CD4: Parte 1, Parte 2

15.6.09

Flip Title: Escreva de cabeça para baixo

Qual a utilidade de escrever de cabeça para baixo? Aparentemente nenhuma, mas que fica muito legal fica. Pode-se colocar em nicks de msn, em textos em geral e sem nenhuma complicação. Basta digitar o texto e automaticamente o site 'vira' os caracteres.

Clique aqui! e confira. Visto no blog do Gordo Nerd.

12.6.09

Songbook Vinicius de Moraes Vol 1, 2 e 3 para Download

Repostagem de um post de 20/02 a pedidos de Marcelo Mendes.


Songbook de Vinicius de Moraes, volume 1, 2 e 3. Partituras para violão/teclado/etc.

Conforme prometido num post anterior. Volume 1, 61 músicas. Volume 2, 60 músicas. Volume 3, 59 músicas. Total de 120 partituras do gênio da bossa-nova e da poesia Vininha!


Clique aqui! para fazer o download.

All Songs of The Beatles Songbook - Download

Apontada por muitos como a maior banda de todos os tempos, ou pelo menos a que mais fez sucesso, e de clássicos inesquecíveis, os Beatles são para mim essenciais. Há muito tempo não sou beatlemaníaco, mas ainda admiro o trabalho do quarteto de Liverpool.

Começa com essa postagem uma pequena (bem pequena) série de postagens de Songbooks. Inspirado num email que recebi para repostar o songbook do Vinicius, vou aproveitar pra postar outros, começando pelo dos Beatles.

Duzentas e uma músicas dos Beatles em partitura. Um belo presente.

Clique aqui! e faça o download.

11.6.09

É certo montar uma biblioteca ilegal no meu armário da escola?

Deixe-me explicar.

Eu estudo em uma escola privada que é fortemente restrita. Recentemente, o diretor e o conselho de professores organizaram uma (enorme) lista de livros que não são permitidos para leitura. Eu estava apavorado, pois um grande número de livros eram clássicos e outros eram meus favoritos. Um de meus favoritos, O Apanhador no Campo de Centeio, estava na lista, portando eu decidi levar ele para a escola para ver se eu realmente teria problemas. Então (surpresa!) um garoto de minha turma de inglês perguntou se ele podia pegar emprestado o livro, pois ele ouviu que era muito bom E banido! Isso aconteceu diversas vezes e meu armário agora está transbordando com livros banidos, então eu decidi colocar o armário desocupado perto do meu em bom uso. Eu agora tenho 62 livros neste armário, cerca de metade do que estava na lista. Eu tomei cuidado para trazer somente os livros com qualidade literária. Alguns destes livros são:

> As Vantagens de Ser Invisível
> A Trilogia "Fronteiras do Universo"
> A Missão de Sabriel
> Os Contos de Canterbury
> Cândido
> A Divina Comédia
> Paraíso Perdido
> O Poderoso Chefão
> O Senhor da Foice
> Entrevista com o Vampiro
> The Hunger Games
> O Guia do Mochileiro das Galáxias
> Um Americano na Corte do Rei Artur
> A Revolução dos Bichos
> As Bruxas
> As Chaves do Reino
> Por Que Almocei Meu Pai
> O Alcorão

...e muitos outros

De qualquer forma, eu agora opera uma pequena biblioteca que ninguém tem acesso além de mim. Praticamente uma biblioteca de verdade, pois eu mantenho um inventário e dou datas de devolução para as pessoas e tudo mais. Eu estarei em um tremendo problema se eu for pego, mas eu penso que é a coisa certa a fazer, pois depois que eu iniciei, praticamente nenhum garoto da escola ficou sem interesse em leitura! Agora não apenas todos os garotos estão lendo os livros banidos, mas também estão buscando o seu próprio caminho para ler qualquer coisa que possam colocar as mãos. Então eu estou fazendo uma coisa boa, certo? Ahn, e vocês possivelmente pensaram "Eles não poderiam simplesmente ir a uma biblioteca local e pegar emprestados os livros?", mas a maioria dos garotos são medrosos demais ou seus pais também não deixariam eles pegar os livros. Eu penso que estas pessoas deveriam ter a mente aberta. A maior parte dos livros são banidos por terem informações contra o Catolicismo. Eu limito minha 'biblioteca' somente aos alunos de ensino médio, portando você não pode dizer que estou expondo pessoas jovens demais a um material ao que eles não estão maduros o suficiente. Mas o que estou fazendo é errado, pois os pais e professores não sabem ou não gostariam disso, ou isso é uma boa coisa pois eu estou iniciando a apreciação destes clássicos e realmente bons livros (não somente modinhas como Crepúsculo) em minha geração?

Mais livros que eu tenho:
> Um Estranho no Ninho
> O Retrato de Dorian Gray
> Matadouro 5
> O Senhor das Moscas
> Ponte para Terabítia
> Ardil 22
> A Leste do Éden
> Os Contos de Fadas dos Irmãos Grimm

...e a lista continua.

Crepúsculo está banido também, mas eu não quero isso poluindo minha biblioteca.

Pensei em envolver a imprensa nisso, mas repórteres não são permitidos no campus. Além disso, meus pais ficariam loucos se eles descobrissem que estou fazendo isso.

---

Este texto foi originalmente publicado no sistema de perguntas "Yahoo! Answers". Resolvi traduzir pois não são todos que entendem inglês, e acho que esta história deveria ser divulgada pela internet. É um exemplo de amor pela literatura e por tudo o que ela pode trazer para as mentes de nossa geração. Pessoas lendo perdem os medos, entram em contato com sentimentos que não sabiam que existia dentro de si, pensam e tomam ação. Pessoas deveriam ler mais, conversar mais, agir mais. Tomem a história deste guri como exemplo. Divulguem esta tradução, não precisa nem citar créditos se desejar assim, mas acho excelente mais e mais pessoas se influenciarem neste exemplo. Empreste, recomende, dê livros, enfim, eles podem salvar a sua vida, e a de quem você infectar com este bem que é o hábito da leitura!

Original em: http://tiny.cc/TFWps

8.6.09

lamúrias com gin.

Estava eu caminhando por aí (pois deixei de navegar, os tripulantes não me agradam muito), e caio neste trecho perdido pelas cybervias como se fosse um bueiro aberto. Já conhecia, mas não tomava como algo de muita importância entre tantas e tantas páginas mais significativas que li do meu mestre de bebedeiras e “putaniedades” em poesia e prosa. Desta vez me bateu como vinho barato, e tive que regurgitar para vocês. Adoro recomendar coisas, apresentar caminhos, conversar horas e horas sobre idéias para quem sabe a pessoa resolver entrar no meu tonél infectado. Mas será que todos estão preparados para a qualidade? A maior parte das pessoas prefere dançar em território fácil, e as vezes se prospecta nele como sendo algo grandioso. Como diz Buk, gritam “Bravo! Bravo!”, e o ego acompanha “Bravo! Bravo!”. Mas algo mudou? Certeza que você estava preparado? Certeza que valeu a pena integralmente? Alguns viajam por livros, filmes, músicas, peças, quadros, danças, e outros, como se indo para um país novo. Viajar é o que conta, claro, acho que todos devem viajar e aproveitar. Mas alguns irão chegar lá, e guardar lembranças. Outros vão guardar experiências. É a experiência de saber que ali houve tal batalha, e que aquela obra é importante por isso, e que a pessoa que construiu aquilo fez por tais e tais motivos. Pouco muda, pouco importa, é só um estilo diferente de ver as coisas. Para alguns uma coletânea com o melhor de Beethoven já basta, para outros a refeição só vem completa com as sinfonias integrais de Mahler. Muda algo? Acho que não. Continuarei recomendando coisas por aí, mas fico triste que nem todos vão querer e poder absorver deste meu veneno, bem como eu tenho certeza que ainda não posso absorver de muitos venenos por aí. Sim, esta reclamação em forma de carícias serve para mim também. Meus amigos, mais sei, menos sei. A questão não é o quanto se sabe, mas o quanto se deseja saber. Esta enrolação foi para pedir uma abertura de mente, uma isca para um dia de pesca, um caldo de carne para o purê de batatas que está saindo pela orelha de vocês neste momento. Este amarelo do purê precisa ganhar um tom vermelho, e adivinha quem pintará usando bastões, garrafas de cerveja e molho picante? É contigo velho safado!

“tem uma orquestra sinfônica lá na costa leste. o regente faz o maior sucesso tocando o que só posso classificar de Melodias pra Principiantes. esses trechos de música que agradam a quem é inexperiente em matéria de música clássica. mas se o sujeito tem um pingo de sensibilidade, não pode escutar essas peças mais do que 4 ou 5 vezes sem sentir náuseas. essa determinada orquestra vai besuntando aquilo semanas a fio e a platéia, formada na maior parte por pessoas de meia idade, (e não me perguntem de onde saíram ou porque são retardadas: é algo que me escapa por completo) depois de ouvir essas peças banais, básicas e bastante melosas, pensa de fato que está diante de algo novo, grandioso e profundo, e pula e grita “BRAVO! BRAVO!” exatamente como ouviu falar que é assim que se faz. o regente vem dos bastidores, agradece os aplausos uma porção de vezes e depois pede pra orquestra levantar. a única idéia que me ocorre é: será que ele sabe que está tapeando essa gente ou também é retardado mental?



algumas das peças que teria que incluir na escola de alfabetização musical e que esse regente gosta de tocar são: La Vie Parisíenne de Offenbach, o Bolero de Ravel, a abertura de La Gazza Ladra de Rossini, a Suite Quebra-Nozes de Tchaikowsky (cruz, credo, te esconjuro!), trechos da Carmen de Bizet, El Salon Mexico de Copland, a Dança do Tricórnio de De Falla, a Marcha Pompa e Circunstância de Elgar, a Rapsódia em Blue de Gershwin (cruz, credo, te esconjuro, pela segunda vez!) e várias outras que de momento não me vêm à lembrança…

mas é só deixar essa platéia em contato com essa verdadeira usína de açúcar pra logo ficar reduzida a um estado de imbecilidade digno de um bando de macacos.”

de Fabulário Geral do Delírio Cotidiano
de Charles Bukowski
Editora Brasiliense, 1984
Tradução de Milton Persson

A publicidade salva!

Bem engraçadinha propaganda de uma financeira aí. Tudo feito de dinheiro, olha que bonitinhos os bebês Lincoln. Pena que a propaganda não fala sobre a escravidão maciça do sistema monetário, dos golpes em governos populares, do neoliberalismo, das guerras, da economia de escassez, de desemprego tecnológico, nem da inflação eterna ou do método de criação do dinheiro.

Uma pena.

Se quiser ver, clique aqui!

7.6.09

Propaganda da Kombi

Muito boa propaganda da Kombi. Ri muito, o piazinho desde pequeno com altas idéias, hahaha. Vale a pena perder uns minutinhos. Principalmente se você for um amante da Kombi como eu.

Clique aqui!

Fazendo Vídeo

Um dos melhores sites acerca da criação audiovisual, principalmente semi-profissional neste país. Centenas de dicas sobre todas as etapas de criação, de roteiros à edição. Para quem se interessa por cinema e/ou vídeo tem de lê-lo. Material riquíssimo. Um manual de se fazer audiovisual de baixo orçamento - um dos mais importantes.

Clique aqui!

4.6.09

A Terra Respira - Greenpeace

Vídeo do Greenpeace em apelo à vida nos oceanos. A maior parte do oxigênio que respiramos não vem das plantas terrestres, mas sim das algas do fundo do mar. Para fazer isso, o grupo fez um vídeo chamado por mim de 'A Terra Respira', onde mostra-se a respiração da natureza.
Bem interessante, muito bem bolada, de grande impacto.
Não é ecochato, é genial!

Clique aqui!

3.6.09

Fotos Raras de Syd Barrett - Repostagem

Outro dia me lembrei de uma postagem muuuito antiga, dos primeiros dias de Barco Bêbado, que era sobre um link com diversas fotos raras do co-fundador da banda Pink Floyd.
Eu amo Barrett, amo suas músicas com o Floyd, seus solos, sua pintura. E as fotos são maravilhosas, divididas em pastas por época, mostram o desenvolvimento de Syd.
Para quem é fã de rock psicodélico, esse é um presentão. Por isso a respostagem.

E revisitem o baú do Barco Bêbado, há tesouros inestimáveis!

Clique aqui!

Mauricio de Souza faz quadrinho com o Mito da Caverna

Quadrinho feito por Maurício de Souza, o criador da Turma da Mônica, com o personagem Piteco e o Mito da Caverna de Platão como tema. Há claro, o sarcasmo da tirinha, e realmente são quadrinhos fantásticos.
Serve como boa reflexão.

Clique aqui! e veja.

Arnaldo Baptista fala sobre a Tropicália

Entrevista que Arnaldo Baptista fez, falando acerca do movimento tropicalistas. Os quais eles - Mutantes - fizeram parte.
Como sempre, Arnaldo está bem inspirado, e de ótimo humor. Ele é transcendental.

Clique aqui!

Créditos à Atitude Fanzine e Contracultura, que tem uma imagem de abertura mto show.

How Art Made the World - Série Completa para Download

Repostagem de toda a série. Afinal como fui postando em episódios talvez muitos não perceberam das postagens mais antigas.

Lembrando que a série fala de como a Arte desempenha papel fundamental na nossa sociedade, muito além do que muitos diagnosticariam, e como ela o fez durante toda a História. Extremamente interessante, altamente recomendado.

DOWNLOAD:


Episódio 1: More Human Than Human

Parte 1, Parte 2, Parte 3, Parte 4, Parte 5, Parte 6, Parte 7.


Episódio 2: The Day Pictures Were Born

Parte 1, Parte 2, Parte 3, Parte 4, Parte 5, Parte 6 e Parte 7.


Episódio 3: The Art of Persuasion

Parte 1, Parte 2, Parte 3, Parte 4, Parte 5, Parte 6 e Parte 7.


Episódio 4: Once Upon a Time

Parte 1, Parte 2, Parte 3, Parte 4, Parte 5, Parte 6 e Parte 7.


Episódio 5: To Death and Back

Parte 1, Parte 2, Parte 3, Parte 4, Parte 5, Parte 6 e Parte 7.



E para não deixar de lembrar, para descompactar e juntar partes use o 7ZIP, e para unir legendas aos vídeos use o VobSub.

2.6.09

História da Cannabis

O Dormiu.com.br trouxe uma postagem linda. Digna de ser linkada aqui no Barco Bêbado. A história da Cannabis, da maconha. A saga milenar de uma das ervas mais sagradas do mundo, que repercute diariamente nos noticiários, hoje como algo ruim. Mas já foi usada pelas mais variadas culturas pelo mundo, e aqui no Brasil popularizada entre os escravos angolanos. Que inclusive solicitavam o direito de plantar e de fumar enquanto trabalhavam.

Na postagem há um vídeo promocional da série Weeds, em que também conta-se fatos notáveis acerca da maconha.

Clique aqui! e não deixe de se informar. Até o fim do preconceito.